20 de agosto de 2015

Não basta "rememorar". Temos que derrubar o tirano pela ação direta! ‪#‎ForaBetoRicha‬!



A direção da APP-Sindicato precisa entrar e fortalecer o Comitê Estadual Fora Beto Richa! Não dá mais pra esperar! Beto Richa precisa aprender que não se bate em trabalhador! 

Por Evandro J. Castagna - PSTU Curitiba
_____________________________________

Evandro J. Castagna, trabalhadore do Hospital
de Clínicas e professor de História.
Foi candidato ao senado
pelo PSTU em 2014.
A Direção Estadual da APP-Sind, até agora, optou em não participar do Comitê Estadual Fora Beto Richa. 

Limita-se a construir atos de "rememoração" da violência do tirano todos os dias 29 (através de um Coletivo,) e à ação parlamentar - via impeachment - insuficiente, pois sabemos que deste parlamento podre e corrupto não conseguiremos nada.

Seria determinante para a vitória dos trabalhadores se esta direção mobilizasse os servidores para a construção de Comitês pelo Fora Beto Richa em todas as escolas, através dos representantes de base. 

Se a direção da APP Estadual quisesse, cada escola se transformaria em um Comitê!
A partir destes Comitês a categoria, desde a base, poderia organizar plenárias nas escolas, nos bairros que ficam no entorno das escolas, nos municípios, mobilizando pais, alunos e a comunidade em geral, pra derrubar Beto Richa (PSDB/DEM).
Poderíamos, enfim, construir um Plebiscito Estadual na semana da Pátria, chamando a população a botar pra fora este tirano. 

Mas enfim, a direção estadual da APP não quis embalar esta luta, o que enfraquece a todos nós. Ela apela para a defesa da democracia: "devemos respeitar as urnas!", "somos contra golpismos!" - gritam os dirigentes. 


Os marxistas, a mais de 150 anos, defendem que a "democracia burguesa" é uma ditadura disfarçada. O processo eleitoral então, nem se fala: é antidemocrático e controlado pelos ricos. 
As bombas do dia 29 provaram o que Marx, Engels, Lênin, Rosa de Luxemburgo, Chê Guevara e Trostski já diziam a muito tempo. Os trabalhadores tem todo direito de derrubar seus representantes se estes mentem, batem nos trabalhadores, jogam bombas e gás lacrimogêneo, sangram e atacam seus salários e direitos. 

Quem foi que disse que os trabalhadores não tem o direito de construírem, a partir de sua organização e luta, seus próprios instrumentos de poder? 

A direção da APP, com maioria pertencente à corrente política interna do PT chamada Democracia Socialista (DS), já foi marxista/trostskista. Com o passar do tempo, se entregou de corpo e alma ao "vendaval oportunistas" da década de 90. Hoje, infelizmente, rompeu com a teoria socialista e joga todas as suas cartas na democracia burguesa (liberal) como único meio possível de transformação. A defesa do socialismo é feita somente para os dias de festa. 

A defesa da "democracia burguesa" como um "valor universal", faz com que esta direção opte, mais uma vez, por uma trégua com o PSDB. Já cedeu inúmeras vezes. Antes, cedeu as chantagens do corte de ponto, agora a trégua é na ação direta, na mobilização... que se resume em "rememorações" e manobras parlamentares, insuficientes, dentro dos limites da legalidade burguesa! 

A direção da APP precisa refletir e tomar uma postura diferente. Precisa entrar logo no Comitê Estadual Fora Beto Richa, e impulsionar sua derrubada. 

Construir um terceiro campo, independente, dos trabalhadores. 

Não podemos levar a sério o argumento de que o "Fora Richa" pode embalar o "Fora Dilma". Os trabalhadores estão sendo atacados por ambos os governos e devem lutar contra ambos! Não defendemos a derrubada de Dilma pelas mãos da oposição burguesa, via impeachment, porém os trabalhadores tem toda razão em ficarem indignados com as mentiras de Dilma.

A direção da APP-Sindicato e a CUT precisam romper com o governo Dilma e lutar de forma contundente, se apoiando na ação direta dos trabalhadores, pela derrubada de Beto Richa. 

Da mesma forma que Beto Richa, o governo Dilma é nosso inimigo. É ele que aplica o Ajuste Fiscal e aplicará a "Agenda Brasil", que permitirá a cobrança dos serviços do SUS, o desmatamento de nossas florestas, a classificação de nossas lutas como "ato terrorista", o aumento da idade mínima para aposentadoria, etc. 

É este governo, do PT e PCdoB, que ataca nossos direitos e salários, da mesma forma que Beto Richa (PSDB) no Paraná e Sartóri (PMDB) no Rio Grande do Sul. Só a luta independente dos patrões e governos é que pode abrir caminha para nossa vitória!

Dia 02 de Setembro: Plenária Sindical e Popular como alternativa à oposição burguesa e ao governismo

Os servidores federais (base do Sinditest) apontaram o caminho. Aprovaram, em Assembléia, a construção de uma Plenária Sindical e Popular, no dia 02 de Setembro, em Curitiba,  para organizar um terceiro campo, alternativo aos dois campos burgueses que construíram as manifestações do dia 16 (oposição burguesa) e dia 20 (governistas). 

Não precisamos ficar reféns da oposição burguesa no congresso e do Governo Federal. Os trabalhadores precisam colocar o seu bloco na rua e construir uma manifestação em setembro que se coloque claramente contra o ajuste fiscal e o ataque aos direitos dos trabalhadores, e que não sirva pra blindar o governo federal de suas responsabilidades, apontando os verdadeiros culpados pela nossa situação. 

Tanto a oposição burguesa, de direita, quanto o governo federal, que compõe com setores de direita, jogam nas costas dos trabalhadores a crise econômica com o objetivo de proteger os lucros de banqueiros, latifundiários e multinacionais.

Chega de Dilma, Renan, Aécio e Cunha! Fora Beto Richa!
POR UM GOVERNO DOS TRABALHADORES, SEM PATRÕES E CORRUPTOS!



















Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui a sua opinião!

Marcadores