19 de maio de 2015

É criado "Movimento Popular #Fora Beto Richa" em Curitiba

Evandro Castagna (PSTU Curitiba)



Vamos construir comitês nos bairros, escolas, locais de trabalho e sindicatos, organizar debates, produzir e distribuir adesivos, bótons, camisetas e panfletos para organizar a luta pelo #ForaBetoRicha em todo estado.
___________________________________________________________

O PSTU do Paraná soma-se a outras organizações sindicais, estudantis, populares e partidos políticos, na construção do Movimento Popular #ForaBetoRicha, que será lançado, nesta quinta-feira, as 19h, nas escadarias da UFPR da Santos Andrade, em Curitiba.

O objetivo dessa frente de luta é, – a  partir da denúncia dos ataques aos direitos trabalhistas, do aumento de taxas, tarifas e impostos, da corrupção e repressão brutal aos servidores que legitimamente protestavam pela defesa de suas aposentadorias – exigir sua saída imediata do governo do estado.  
Por isso é muito importante o envolvimento das organizações sindicais, estudantis e populares. É importante que estas organizações debatam com suas bases, nas diretorias e assembleias das categorias sobre a incorporação e apoio ao movimento.

Existem vários movimentos se organizando de forma espontânea no estado pelo Fora Beto Richa. Muitos inclusive com iniciativas políticas, coleta de assinaturas para impeachment, produção de adesivos e camisetas, faixa e bandeiras. É muito importante que todos estes movimentos se unifiquem e atuem de forma conjunta, combinada e organizada.

No dia 19 de Maio, na passeata unificada dos servidores do estado, a palavra de ordem FORA BETO RICHA deu o tom da manifestação. Precisamos dizer um basta! Beto Richa não tem mais legitimidade para governar o Estado e deve cair imediatamente.

PORQUE PRECISAMOS DERRUBAR BETO RICHA (PSDB)         

Beto Richa (PSDB/DEM) segue politica do governo Dilma (PT/PMDB) de repressão, ataque aos direitos dos trabalhadores e aposentados, aumento de tarifas, impostos e taxas, privatização da saúde e se enlameia em  corrupção.

Em evento na Universidade Federal do Paraná, o jurista Celso Antônio Bandeira de Mello disse que cabe o impeachment do governador Beto Richa (PSDB) pelo massacre do Centro Cívico em Curitiba no dia 29 de abril. Na carta final do evento, elaborada por juristas, concluiu-se que o governador é responsável pelo massacre contra os professores, estudantes, servidores e cidadãos;

Vejamos alguns motivos para exigir a saída de Beto Richa do governo do Paraná:
  • O dia 29 de abril entrou para a história. O país inteiro se revoltou com as cenas de repressão contra os trabalhadores em Curitiba. A indignação se espalhou país afora, a violência e truculência foram repudiadas. Nos últimos jogos de futebol, os estádios paranaenses ecoaram o “Fora Beto Richa!”. Em 5 de maio, no estádio da Vila Capanema, os educadores aprovaram massivamente a continuidade da greve sob o coro “Fora Beto Richa”. A solidariedade e o apoio à luta dos trabalhadores cresceu. A maioria do povo paranaense não concorda com a violência que o governo usou para atacar os servidores.
  • Beto Richa aumentou o valor do IPVA em 40%. Neste ano, o parcelamento também foi reduzido de cinco para três parcelas e desconto para pagamento antecipado caiu de 10% para 3%;
  • Beto Richa aumentou o valor do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) de 28% para 29%.
  • Beto Richa aumentou a alíquota de ICMS sobre alimentos, que era de 12%, para 18% ou 25%, dependendo do produto. Além de taxar a comida, o “tarifaço” atinge 95 mil itens de consumo como produtos de higiene, vestuário, medicamentos, eletrodomésticos e produtos de limpeza.
  • Beto Richa aumentou a tarifa da Sanepar em 12,5%.
  • Beto Richa aumentou o IPVA em 40%. O ICMS da gasolina subirá de 28% para 29%.
  • Beto Richa privatizou a saúde pública através da criação de uma Fundação Estatal de Direito Privado que será responsável pela gestão da saúde. Na prática, da mesma forma que a EBSERH da Dilma, quase todo o funcionalismo poderá passar para as mãos das fundações.
  • Beto Richa aprovou projeto que afrouxa regras de Parcerias Público Provadas (PPP´s). A proposta aumenta a lista de recursos públicos que abastecerão as empresas privadas e dificulta investigação sobre gastos públicos nestas parcerias.
  • Beto Richa aprovou pagamento de auxílio moradia para os conselheiros, auditores e procuradores vinculados ao judiciário, no valor de R$ 4.337,74.
  • Beto Richa reajustou as taxas do Detran em até 500% e criou seis novas taxas.
  • CORRUPÇÃO: O auditor Luiz Antônio de Souza, preso acusado de fraudar a Receita Estadual, disse que usou verba de corrupção em comitê de Beto Richa. O auditor revela que cerca de R$ 2 milhões de dinheiro de propina foram repassados a campanha de Beto. Segundo o Ministério Público, o esquema de corrupção lesou os cofres públicos em mais de 50 milhões nos últimos 10 anos. Desde janeiro, mais de 20 pessoas foram presas pelo Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco) em operações contra corrupção na Receita Estadual de Londrina, fraude em licitação e exploração sexual. Entre os presos estão pessoas do círculo íntimo do governador, entre eles o primo de Beto Richa, Luiz Abi Antoun. Empresário e lobista, Luiz Abi foi preso na semana passada sob acusação de ser o cabeça de um esquema de fraude em licitação realizada em dezembro para o conserto de automóveis do governo estadual. Segundo o Ministério Público, a empresa de Abi, que levou R$ 1,5 milhão na licitação, superfaturava o valor dos serviços e peças.

DILMA (PT) E EDUARDO CUNHA (PMDB) TAMBÉM ATACAM OS TRABALHADORES
Para além desta luta, precisamos reforçar que não é só o governo do PSDB que nos ataca. Infelizmente, Dilma (PT) e Eduardo Cunha (PMDB) também demonstram que defendem os interesses dos patrões, banqueiros, latifundiários, empreiteiras e multinacionais que financiaram suas campanhas.

Semana passada, o governo Dilma e sua bancada liderada pelo PT e PMDB no Câmara dos deputados, aprovaram a Medida Provisória 665. Trata-se de um duro ataque a classe trabalhadora brasileira, esta lei retira direitos históricos. A situação é muito séria, dias atrás, o mesmo parlamento já havia aprovado o Projeto de Lei 4330, que regulamenta as terceirizações e significa um duro ataque as condições trabalhistas.
O governo está manobrando e usa a indignação dos trabalhadores contra o PL das terceirizações para tirar a atenção do ajuste fiscal e das MP´s que estão sendo aprovados no parlamento. A postura diante das terceirizações não passou de jogo de cena, Dilma não se pronunciou contra o PL 4330, apenas manifestou preocupação quanto a arrecadação do governo.

PARTICIPAÇÃO NO DIA NACIONAL DE PARALISAÇÕES – 29 DE MAIO
CONSTRUIR GREVE GERAL NACIONAL CONTRA  ATAQUES DOS GOVERNOS!

Diante desses ataques, a necessidade maior da classe trabalhadora brasileira é a construção de uma forte e consequente Greve Geral, que pare o país e coloque contra a parede os capitalistas, o governo federal e o Congresso Nacional. É lamentável que a maioria da Força Sindical (liderada por Paulinho do SDD) tenha apoiado o projeto das terceirizações. Da mesma forma, é lamentável que até agora, a CUT não tenha manifestado com relação as MP´s de Dilma, a mesma indignação que externou contra as terceirizações.

Em 29 de maio, teremos um novo dia nacional de paralisações, ele foi convocado pelas centrais sindicais CSP Conlutas, CUT, UGT, NSCT e CTB. A pauta acordada inclui as terceirizações, as duas Medidas Provisórias de Dilma (664 e 665) que retiram direitos trabalhistas e previdenciários, o ajuste fiscal, a defesa dos direitos e da democracia.

Por isso, a luta no Paraná precisa ser colocada a serviço desta luta mais geral que precisamos travar no país. É a classe trabalhadora brasileira quem está sendo duramente atacada, derrotar Beto Richa (PSDB) não basta, por que também seremos afetados pela política que está sendo aplicada em âmbito nacional. Nesta batalha só teremos um vencedor, o governo federal liderado por Dilma (PT) ou a classe trabalhadora através de uma grande Greve Geral.

Nenhuma trégua ao governo federal, nenhuma trégua ao Congresso Nacional, nenhuma trégua ao governo estadual, rumo à Greve Geral.

Basta de PT, PMDB, PSDB! Por um governo dos trabalhadores sem patrões, sem corruputos e sem a direta, e que governe apoiado nas organizações e no programa da classe trabalhadora.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui a sua opinião!

Marcadores