12 de fevereiro de 2015

Vitória, vitória, vitória! Trabalhadores derrubam “pacotaço” de Richa no Paraná!

A sessão foi cancelada, o requerimento retirado de pauta e o "pacotaço" derrotado!

O prédio administrativo da Assembleia Legislativa também foi ocupado. Cerca de 50 mil trabalhadores organizados e indignados com a truculência do governo, deram sustentação para a ocupação do prédio da Assembleia. Beto Richa ordenou que cerrassem as grades da Assembleia Legislativa para que o blindado da Tropa de Choque entrasse com os deputados vendidos e covardes. Dentro do blindado estava presente também o Secretário de Segurança, Fernando Francischini do partido Solidariedade, que fugiu dos manifestantes.

Mariana Franco Ramos/Equipe Folha

Homens e mulheres gritavam: “Fora Beto Richa!”, "Fora Traiano" (PSDB), “O Povo Unido jamais será vencido!", "Fora Romanelli!” (PMDB).

A força da mobilização afetou o lado trabalhador e humano dos soldados. Os trabalhadores entregaram flores aos policiais e pediam para que recuassem enquanto o cordão de frente da manifestação avançava sobre a tropa de choque. Visivelmente a contra gosto, alguns policiais lançaram gás de pimenta e bombas de gás lacrimogênio. Algumas pessoas saíram feridas.

Os deputados ficaram encuralados enquanto os trabalhadores gritavam: "Ou retira (o pacotaço) ou não sai!". A própria base aliada, com medo da multidão, exigiu de Richa a retirada do "pacotaço". Logo depois todos e todas festejavam a vitória.

Cinismo de Traiano, Romanelli e os deputados da base de Richa!Antes da ocupação, o presidente da Assembleia Legislativa teve o cinismo de lançar uma nota, que inicia com os seguintes dizeres:

“Os princípios do estado de direito democrático são afrontados quando um parlamento é sitiado”.


Os trabalhadores que ocuparam a Assembleia Legislativa mostraram que a democracia também se constrói na luta, na ação direta, muito diferente do jogo eleitoral anti-democrático e controlado pelos ricos. Agora, estes deputados traidores e covardes terão que se explicar para os trabalhadores em suas bases eleitorais.

A experiência da última greve da educação (de 2014) nos ensinou que não podemos confiar nos governos, partidos da burguesia e na democracia dos ricos.

A última greve da educação foi traída justo quando estava no melhor momento de seu fortalecimento na base (90% dos educadores estavam em greve). Naquele momento poderíamos ter obtido mais conquistas, impondo uma derrota , se não fosse a direção da APP alimentar ilusões no cumprimento de suas promessas de Beto Richa (PSDB). A Direção da APP ignorou a força da greve na categoria e na população. Suspendeu a greve no momento em que estávamos mais fortes.

O declaração do presidente da Assembleia Legislativa de que não vai mais utilizar o tratoraço da Comissão Geral para aprovações de projetos de nada garante que projetos que atacam os trabalhadores não serão aprovados.

É certo que qualquer projeto antipopular de Richa será aprovado pois ele tem maioria absoluta na casa. Está mais do que provado que os trabalhadores só podem confiar em sua mobilização, em suas próprias forças, para derrotar de vez o governador.

A direção da APP não pode alimentar nenhuma ilusão na Assembléia Legislativa, muito menos na bancada do PMDB como vem fazendo. Nenhuma confiança em Nereu Moura, Requião Junior e Anibelly. O PMDB está junto com Dilma atacando os trabalhadores através do "pacotaço nacional" e, inclusive, Romanelli, principal articulardo do "pacotaço estadual", é do PMDB.


O ex-governador Requião (PMDB), aliado político do PT do Paraná, deixou de repassar os descontos que fez na folha de pagamentos do funcionalismo e não aportou a sua parcela de contribuição. Segundo o site Dinheiro Público, o rombo na ParanáPrevidência passou de R$ 4,6 bilhões em seu governo.

É importante lembrar que Kátia Abreu, José Sarney, Renan Calheiros e o ultra direitista, homofóbico e machista Eduardo Cunha (Presidente da Congresso Nacional), são velhas raposas desta legenda.

É hora de construirmos pela base um governo dos trabalhadores sem patrões, pois os caminhos de colaboração de classe, defendidos pelo PT e PCdoB, junto com PMDB e demais partidos burgueses, só nos levaram a derrotas e traições.

Rodrigo Tomazini, dirigente do PSTU da educação estadual comemora a vitória
É preciso derrotar o "pacotaço" de Dilma também!

Não é só o PSDB que ataca os trabalhadores. O Governo Federal (composto pelo PT, PCdoB e PMDB), também ataca direitos trabalhistas e previdenciários (seguro desemprego, pensão por morte, etc.), aumentam impostos, tarifas e juros, e corta verbas da saúde e educação.  A gasolina e Energia Elétrica aumentarão 45% só neste ano.

Dilma aprovou por decreto o seu "pacotaço" e agora, se omite diante das milhares de demissões de operários metalúrgicos e da construção civil no país.

A direção da APP, junto com os demais sindicatos, deve exigir a revogação do "pacotaço" do Governo Federal também. Tem que se posicionar firme contra os ataques de Dilma e seus aliados.

Mulheres Trabalhadoras, mais uma vez, são exemplo de resistência e luta.

Vale ressaltar o papel fundamental e de destaque das mulheres trabalhadoras neste porcesso de vitória da Classe Trabalhadora no Paraná.

Sempre na linha de frente elas mostram que lugar de mulher é na luta, é na política, é enfrentando o Governo, e de braços dados com homens trabalhadores para conquistar vitórias como esta.

Desmilitarização da Polícia já!

Pra finalizar, é preciso ressaltar a triste situação dos soldados da polícia militar que receberam ordens para reprimir trabalhadores que lutavam por seus direitos. Muitos soldados choravam enquanto tentavam evitar a entrada dos trabalhadores na Assembleia Legislativa.

Arte produzida durante a madrugada na ALEP
Durante a ocupação, no primeiro dia, um soldado encontrou sua professora na Assembleia Legislativa. Ambos se abraçaram e choraram!

Informações dadas por manifestantes apontam para a perseguição política de policiais por apoiarem os trabalhadores.

Não é possível que estes homens e mulheres passem por humilhações constantes de seus superiores, passem várias horas trabalhando em pé, sem programação, sem alimentação e  obrigados a reprimir a luta dos trabalhadores. Que não tenham direitos trabalhistas e que sejam proibidos pelo Estado de se sindicalizarem.

É preciso que se rompa com a ordem hierárquica militar, herança da ditadura.  É necessário a organização de uma policia civil única, com comandantes eleitos pela base e que esteja do lado dos Trabalhadores.



-FORA BETO RICHA, ROMANELLI, TRAIANO E FRANCISCHINI!

-UNIFICAR AS GREVES! NENHUM DIREITO A MENOS!

- RICHA, TIRE AS MÃOS DA PARANÁ PREVIDÊNCIA!

- NÃO A PRIVATIZAÇÃO DAS UNIVERSIDADES PÚBLICAS DO ESTADO!

-DESMILITARIZAÇÃO DA POLÍCIA! DIREITO A SINDICALIZAÇÃO E ELEIÇÃO DIRETA PARA OS CARGOS DE COMANDO!

-CHEGA DE PERSEGUIÇÃO AOS POLICIAIS POR APOIAREM A LUTA DOS TRABALHADORES!

-OS TRABALHADORES NÃO PAGARÃO A CONTA DA CRISE DOS RICOS! CHEGA DE DINHEIRO PARA OS BANCOS! NÃO AO PAGAMENTO DAS DÍVIDAS PÚBLICAS QUE ENRIQUECEM OS BANQUEIROS!

- NENHUMA CONFIANÇA NO PARLAMENTO DOS RICOS! A VITÓRIA VEIO DA LUTA DIRETA E DA ORGANIZAÇÃO DOS TRABALHADORES E JOVENS!

- REVOGAÇÃO DAS LEIS QUE PRIVATIZARAM A SAÚDE PÚBLICA ESTADUAL (FUNEAS)!
-VIVA A LUTA DOS TRABALHADORES!

- POR UM GOVERNO DOS TRABALHADORES SEM PATRÕES!











Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui a sua opinião!

Marcadores