23 de dezembro de 2014

2015: de Brasília ao Palácio Iguaçu nada mudará para nós trabalhadores

Novo governo liderado pelo PT terá nomes de peso da burguesia nos principais ministérios, nos próximos anos só a luta poderá mudar a vida dos trabalhadores
Dilma e a ruralista Kátia Abreu
Pelo núcleo operário de Curitiba
Dentre as surpresas dos últimos anúncios do novo governo federal, com certeza uma das mais chocantes foi à indicação da senadora Katia Abreu para o ministério da Agricultura. Como uma piada de mau gosto, a autora de frases como “os pobres no Brasil tem mesmo que comer produtos com transgênicos, pois não tem dinheiro para comer orgânicos” ou o seu protesto quanto aos políticos serem controlados pelo ministério público, ou ainda ser a portadora do singelo título de miss motosserra de ouro ou miss desmatamento ou ainda ser a representante dos latifundiários no congresso nacional e defender entre outras coisas o trabalho infantil no campo e a política que termina com chacina de indígenas no campo no Brasil mostra muito sobre quem é essa autêntica representante da classe dominante do campo no governo do PT 2015/2018.

Mais ainda do que ela representa, sua indicação diz muito sobre o que o novo governo liderado pelo PT prepara para nós da classe mais pobre, os trabalhadores que produzem as riquezas desse país para os próximos anos.

Esses são os representantes dos mesmos grandes empresários que ganharam milhões de reais em incentivos do governo em 2014 para preservar empregos e pagaram nosso sacrifício com milhares de demissões no mês de novembro, os mesmos que participaram do jogo sujo na Petrobras e os mesmos que patrocinam assassinatos e a concentração de todas as terras nas mãos de apenas alguns poucos proprietários no campo, dentro e fora do Brasil, como bem demonstra o avanço do latifúndio nos países vizinhos.

Katia Abreu (Ministério da Agricultura), Joaquim Levy (Ministério da Fazenda), Armando Monteiro (Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio) e Gilberto Kassab são apenas exemplos que nos dão a tônica de um governo que já sabemos, será todo para os Latifúndios, Bancos, Multinacionais e Construtoras, e nada para os trabalhadores, o povo pobre e a juventude do nosso país.

Enquanto a composição dos ministérios garantirá lucros para eles, nós continuaremos sofrendo com os aumentos da gasolina, pedágios, passagens de ônibus, comida, taxas e diminuição do poder do nosso salário, redução do seguro desemprego justamente quando aumentam as demissões, enfim tudo aquilo que alardeavam que não iriam fazer antes das eleições.

No Paraná, Beto Richa mostrou nesses últimos dias, que não adiantou nada a maioria do povo paranaense ter votado na oposição, pois o representante do PSDB de Aécio aqui na terra das araucárias, resolveu aplicar o "tarifaço", um verdadeiro pacotão que inclui o aumento de passagens, pedágios e tarifas. Enquanto aumenta os gastos com os seus próprios comparsas, um exemplo é a distribuição de secretarias para seus aliados, incluindo a sua esposa, Beto compactua com aumento de salários para os deputados de sua base. Essa e outras medidas mostram bem quem são os representantes da tal “oposição” ao governo Dilma.

Para nós que lutamos em Junho de 2013 e afirmamos que não havia sido apenas por 0.20 centavos, é hora de nos prepararmos para voltarmos às ruas em 2015. Precisamos sair para as ruas novamente, pra lutar contra os bandidos da Assembleia Legislativa do Paraná e do Congresso Nacional, que contam com o apoio de Beto e Dilma, respectivamente.

Temos que seguir os exemplos dos trabalhadores que estão saindo pra lutar em todo mundo, para nos mobilizar contra as injustiças e defender nossos direitos.  Os exemplos da Grécia, Espanha, EUA e México nos mostram o caminho.

Onda de manifestações contra o racismo da polícia nos EUA

Já está mais do que na hora de construirmos uma alternativa para nossa classe, que não esteja subordinada ao sindicalismo oficial ou as direções traidoras, tais como os partidos que estão no governo. Está na hora de tomarmos nosso destino em nossas próprias mãos, fortalecendo as organizações independentes dos governos de plantão!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui a sua opinião!

Marcadores