23 de outubro de 2014

Lutar não é crime! Em defesa de Nicolas Pacheco




Lançamento do comitê "Lutar não é crime", impulsionado pelo Sinditest-PR, reúne diversas entidades e ativistas no pátio da Reitoria da da Universidade Estadual do Paraná. O ato foi convocado para dar um pontapé na luta contra a repressão e criminalização dos movimentos sociais


Na última quarta-feira, 22 de outubro, um ato unificado relembrou a luta em defesa do estudante Nicolas Pacheco, preso injustamente em uma manifestação contra a aprovação da EBSERH realizado no último dia 28 de agosto, no mesmo local. Vários ativistas e membros da comunidade estiveram presentes, muitos para descrever a repressão e perseguição à ativistas em ouras lutas, como a dos mutuários de São José dos Pinhais - que sofrem ameaças de despejo e estão há mais de 50 dias acampados para exigir uma negociação com os órgão públicos - e dos jovens em defesa do passe livre em Joinville.


Professores, trabalhadores da saúde, estudantes sindicatos e ativistas prestaram sua solidariedade à Nicolas e a todos os presos e perseguidos políticos, que seguem existindo em plena democracia, tanto sob os governos do PSDB como do PT. Ao longo do ato, quase todos destacaram a necessidade de unificar as lutas por direitos e contra todas as formas de repressão, como forma de somar forças para resistir a esses ataques e avançar.


Para isso, o comitê "Lutar não é crime", bem como todas as iniciativas de luta comum, é um espaço essencial para que os lutadores e lutadoras possam discutir iniciativas para pressionar pelo fim das prisões, repressões ou perseguições de qualquer tipo. Afinal, em uma democracia, manifestar-se é um direito tão importante como qualquer outro.









Assista abaixo o vídeo produzido pela APUFPR sobre o ato realizado pelo comitê "Lutar não é crime" na quarta-feira, 22 de outubro.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui a sua opinião!

Marcadores