20 de maio de 2014

Parabéns às Pedagogas (os) pelo seu dia e pela sua luta!

Jessica Miranda, Pedagoga e militante do PSTU Curitiba

Hoje, dia 20 de maio, comemora-se o dia do (a) pedagogo (a), e muitas Secretarias da Educação estão prestando suas homenagens a nós, profissionais. Porém, essas homenagens revelam uma profunda hipocrisia. O que vem acontecendo na realidade é o desrespeito tanto com os pedagogos quanto com os profissionais de educação em geral.

Em muitos municípios, como São José dos Pinhais, região metropolitana de Curitiba, os pedagogos ainda não têm o direito à hora atividade semanal. O argumento utilizado pelo governo é que não atuamos diretamente em sala de aula.

No entanto, como se pensar numa educação de qualidade se não existe tempo para planejar e repensar o plano curricular das escolas, auxiliar a prática docente, atender as demandas dos estudantes e oferecer um serviço de qualidade priorizando a formação cientifica e o senso critico?

Infelizmente os problemas são muito maiores: salas de aula sucateadas, professores e demais profissionais da educação que adoecem devido ao excesso de trabalho – e na maioria mulheres que ainda tem de cumprir a dupla jornada de trabalho, – falta espaços públicos para lazer, terapias, e atendimentos psicopedagógicos. Quando ofertado esses serviços as vagas normalmente não atendem nem a demanda mínima necessária.

E não para por ai, pois na educação especial e alunos de inclusão, percebem-se que o descaso é ainda maior. Não existe Formação Continuada de qualidade para que se possa atender essas crianças. As turmas de inclusão, muitas vezes, tem o número elevado de alunos e são poucas as escolas com salas de recursos multifuncionais. As salas adaptadas para o contra turno escolar estão presentes somente em poucos municípios no Estado do Paraná dificultando a continuidade no processo de ensino-aprendizado.

Percebemos assim o desrespeito, a falta de visibilidade e investimentos na educação. A homenagem realmente deve ser feita pelo esforço e dedicação destes profissionais que lutam no dia a dia por uma educação de qualidade, mesmo pouco valorizados e sem condições mínimas necessárias para o desenvolvimento das atividades.

Se o governo realmente quer homenagear os trabalhadores da educação, deve parar com discursos vazios e atender as reivindicações da categoria.

 Por isso, em ano de COPA afirmamos:

  • QUEREMOS EDUCAÇÃO PUBLICA E DE QUALIDADE
  • QUEREMOS VALORIZAÇÃO DOS/DAS PROFISSIONAIS DE EDUCAÇÃO
  • 10% DO PIB PRA EDUCAÇÃO PÚBLICA JÁ!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui a sua opinião!

Marcadores