25 de abril de 2014

Nota de Repúdio à perseguição política que vem sofrendo nosso companheiro Bruno Coga no Hemocentro da UEM



Desde outubro do ano passado nosso companheiro e servidor da UEM, Bruno Coga, vem sofrendo um intenso assédio moral e perseguição política por parte se sua chefia no Hemocentro Regional de Maringá, que culminou com o afastamento de seu local de trabalho e transferência para outro setor do Hospital Universitário de Maringá.

Esse brutal ataque se deve a uma postagem que nosso companheiro fez em seu perfil no facebook quando da visita do Governador Beto Richa à Maringá para a inauguração do novo prédio do hemocentro.

À época, Bruno denunciou a falta de servidores para atender os novos pacientes e o impacto que a sobrecarga de trabalho traria aos funcionários.

Embora a postagem tenha se caracterizado como uma crítica a Beto Richa e sua falta de compromisso real com a saúde pública no Estado, o que motivou inclusive questionamentos por parte da imprensa e levou o governador a proferir frase que ficou amplamente conhecida “Eu não trabalho aqui”, a mesma irritou a Diretora do Hemocentro, a médica Silvia Maria Tintori, que tomou a crítica política como uma ofensa pessoal e a partir de então passou a perseguir nosso militante de forma descabida, através de intimidação pessoal e mudança arbitrária de seu horário de trabalho. Na época, a Diretora chegou a solicitar sua transferência de setor e que a superintendência do HU abrisse uma sindicância contra o mesmo, o que obviamente não foi acatado naquele momento. O último episódio desta perseguição foi uma advertência escrita dada a Bruno, por ele simplesmente ter feito um questionamento a um palestrante, do qual discordava de suas ideias e a notificação de que aquele momento em diante, ele não deveria mais se apresentar no Hemocentro para o trabalho, mas sim à Superintendência do Hospital Universitário. Todo este processo trouxe consequências para sua saúde física e psicológica, que levou nosso companheiro a se afastar do trabalho para tratar de sua saúde.

É inadmissível no estado democrático de direito que um trabalhador seja perseguido por suas opiniões políticas, mais ainda quando este trabalhador é um servidor público concursado que ademais de executar suas funções de maneira exemplar, sempre lutou pela instituição a qual pertence, denunciando o descaso com nossa universidade, os sistemáticos cortes de verbas por parte de governos à UEM, piora das condições de trabalho para os servidores, o sucateamento do ensino público superior no estado, enfim, todo o ataque que a UEM e as outras universidades estaduais vem sofrendo ao longo dos últimos anos. Bruno é servidor da UEM por 7 anos, foi membro eleito do Conselho Universitário, é reconhecido na comunidade acadêmica por sua trajetória de lutas ao lado dos servidores, professores e alunos na defesa de uma universidade pública, gratuita e de qualidade, e por usa inserção política junto aos movimentos sociais. Não podemos aceitar represálias àqueles que, no interior da universidade lutam por seus direitos e pela melhoria da instituição. O PSTU não vai aceitar que nosso companheiro seja submetido a essa perseguição. Manifestamos nosso total repúdio ao assédio moral que Bruno vem sofrendo e nos colocamos ao lado de nosso companheiro para encaminhar todas as questões necessárias à sua defesa política e jurídica, para que casos como esses não voltem mais a acontecer no HU e em toda Universidade Estadual de Maringá.
Postagem de Bruno no Facebook
(Clique para ampliar)

Diante do exposto, iniciaremos uma campanha nacional pública contra a perseguição sofrida pelo nosso companheiro, já que essa represália se configura numa clara tentativa de impedir a livre manifestação e fere completamente a liberdade de expressão.

- Pelo fim da perseguição política ao companheiro Bruno!

- Em defesa da democracia e da liberdade de expressão na UEM!

- Contra a criminalização dos movimentos sociais e dos ativistas que lutam por melhores condições de vida e trabalho e por uma sociedade mais justa!

- Por mais servidores para a UEM, HU e Hemocentro, por melhores condições trabalho e fim do assédio moral!


Maringá, 24 de abril de 2014
Direção Estadual do PSTU

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui a sua opinião!

Marcadores