7 de abril de 2014

Formação: Você sabe o que é socialismo?



   Socialismo significa: Por Márcio Palmares
1) Que a classe trabalhadora —todas as pessoas que vivem exclusivamente de seu próprio trabalho (do salário) e não da exploração de outras pessoas - passam a governar a nação, através de suas próprias organizações: sindicatos, centrais sindicais... 

... conselhos ou assembleias populares, organizações de moradores, de bairro, comissões de fábrica, organizações de trabalhadores rurais;

Para que isso aconteça, os trabalhadores precisam fazer uma revolução política contra o Estado e o governo atuais, que representam apenas os interesses dos capitalistas, isto é, da minoria que não trabalha e que explora o conjunto da sociedade: os banqueiros, os especuladores do mercado financeiro, os acionistas das grandes empresas nacionais e multinacionais, os proprietários das fábricas e das terras.

2) Todos os produtos do trabalho, tudo aquilo que o país produz, passa a ser propriedade coletiva, e a distribuição desses produtos passa a obedecer critérios racionais;

No capitalismo, a maioria trabalha, mas os produtos do trabalho pertencem ao capitalista. O capitalista vende os produtos do trabalho no mercado, sem qualquer planejamento e sem qualquer preocupação além do lucro. Por isso, o capitalismo acarreta crises econômicas cada vez piores, guerras, miséria e sofrimentos sem precedentes para a humanidade, além da destruição do meio ambiente.

Para que os produtos do trabalho sejam propriedade coletiva, é preciso acabar com a sua apropriação individual pelo capitalista, o que significa abolir a propriedade privada. Isso também exige uma revolução, dessa vez na estrutura econômica da sociedade, feita com o uso da força, pois os capitalistas não abrirão mão de suas posses voluntariamente.

3) Para que o socialismo possa vencer o capitalismo, ele precisa ser internacional, pois a economia capitalista é internacional. Isso significa que tão logo os trabalhadores consigam implantar o socialismo em um país, devem se esforçar para estendê-lo aos países vizinhos, até que o socialismo vença o capitalismo em todo o planeta. A revolução, por isso, precisa ser permanente;

4) No Brasil, essa revolução deverá atingir imediatamente os seguintes objetivos:

1. Realizar uma reforma agrária radical, com a expropriação das multinacionais do agronegócio e dos latifundiários, para distribuir a terra a todos os que nela queiram trabalhar, e garantir ao país autossuficiência na produção de alimentos, permitindo que eles cheguem à mesa de todos a um preço justo;

2. Estatização de todos os bancos, com o imediato perdão das dívidas bancárias de todas as pessoas que recebem menos do que 10 salários mínimos. Suspensão imediata do pagamento das dívidas externa e interna, preservados apenas os pagamentos aos pequenos credores (dívidas do Estado com trabalhadores);

3. Estatização de todas as empresas e estabelecimentos comerciais de grande porte, nacionais ou estrangeiros, para fazer com que os produtos do trabalho sejam acessíveis a todos os trabalhadores, segundo um plano racional;

4. Realização de um plano de obras públicas, para a melhoria da infraestrutura do país, construção de moradias dignas para todos, de hospitais e escolas com padrão de excelência, de modo a empregar toda a força de trabalho ociosa, garantindo a todos o direito ao trabalho e a uma remuneração suficiente para garantir vida digna;

5. Universalização do acesso ao ensino de qualidade em todos os níveis; universalização do acesso à cultura, à arte, aos jogos, a todas as formas de entretenimento e lazer.

Todas essas medidas são perfeitamente racionais e fáceis de serem executadas (uma vez vencida a resistência dos capitalistas). Tudo isso custa muito menos do que é gasto anualmente com a manutenção do sistema atual, que condena 3/5 da espécie humana a viver na miséria, além de produzir guerras cada vez mais horríveis e dispendiosas, e crises econômicas que ameaçam afundar a humanidade na barbárie.

O capitalismo é um sistema socioeconômico fracassado. Mas ele não deixará a cena histórica voluntariamente. É preciso que os trabalhadores adquiram consciência da necessidade de sua supressão e trabalhem com esse objetivo.

Temos pouco mais de um século de combates e experiências acumuladas nessa luta. E nessa jornada, vencemos algumas batalhas e perdemos outras. O capitalismo segue existindo, mas a sua hora irá chegar. A burguesia que hoje domina o planeta lutou durante vários séculos contra os restos da servidão feudal e suas instituições moribundas, até que pudesse cortar as cabeças dos últimos representantes do antigo regime. Não devemos nos decepcionar por termos perdido algumas batalhas. Na escala de tempo da História, a luta do socialismo contra o capitalismo apenas começou.

"Você pode achar que sou um sonhador, mas não sou o único. Espero que um dia você se junte a nós, e então o mundo será um só!" (J. Lennon)

Junte-se a nós! Filie-se ao PSTU!















Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui a sua opinião!

Marcadores