18 de março de 2014

Unidade pra lutar contra o corte de verbas das universidades estaduais do Paraná

Juventude do PSTU - Paraná

Em fevereiro, o governo do Estado do Paraná, anunciou o corte de 40% nas verbas de custeio das universidades estaduais do Paraná. Essa política do governador Beto Richa é um ataque duríssimo as universidades públicas estaduais, demonstrando que os serviços públicos de saúde e educação não são prioridade em seu governo. Precisamos organizar a luta contra esse corte de verbas.

Não podemos depositar nenhuma confiança neste governo, Beto Richa e o PSDB representam os interesses dos grandes empresários do campo e da cidade, prioriza investimentos que favorecem os empresários da indústria e do agronegócio em detrimento dos serviços públicos que atendem a população.

Corte de verbas e privatização dos serviços públicos

O governo Richa segue a mesma política dos governos petistas. Antes de chegar ao centro do poder, o PT encampava a luta contra as privatizações, Lula e Dilma, prometeram ao movimento de massas que não levariam adiante a política de privatizações. Infelizmente esta promessa não foi cumprida, ambos levaram a cabo as privatizações que o governo de Fernando Henrique Cardoso [PSDB] não conseguiu aplicar. Nos governos petistas avançou a privatização dos Hospitais Universitários através da EBSERH (Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares), dos portos, dos aeroportos e das rodovias.

No dia 25 de fevereiro foram aprovados o Projeto de Lei Completar 22/2013 que regulamenta a privatização dos serviços públicos estaduais no Paraná, e o Projeto de Lei 726/2013 que privatiza a gestão da saúde pública estadual. Liderados pelo deputado Ademar Traiano e Valdir Rossoni, ambos do PSDB, a maioria dos deputados votou a favor dos projetos do governador Beto Richa que significam uma derrota enorme para os trabalhadores da saúde e os usuários do SUS.

É neste contexto de privatizações, aumento da tarifa dos pedágios e de ampliação dos investimentos relacionados a Copa da FIFA, que se insere o corte de verbas de 40% nas universidade estaduais. Qual é a prioridade deste governo? O Povo ou os grandes empresários? Os serviços públicos ou a Copa elitizada da FIFA? Está claro que não governa para os trabalhadores e a juventude, enquanto corta recursos das universidades, investe mais de R$ 100 milhões no aparato de repressão devido a realização da Copa.

Construir a unidade para lutar contra o corte de verbas

Os estudantes, docentes e técnicos das universidades estaduais possuem uma tradição de luta que precisa ser resgatada. Em 2001, ocorreu uma das mais longas greves da América Latica, durante 6 meses os três segmentos atuaram de maneira unitária contra o governo de Jaime Lerner (do antigo PFL). Graças a mobilização desta greve a privatização da Copel pôde ser barrada, esta história nunca será apagada, na época os estudantes ocuparam a ALEP (Assembleia Legislativa do Paraná) e impediram a privatização da Copel.

Precisamos construir uma forte campanha contra o corte de verbas de Beto Richa, que unifique o maior número de entidades estudantis, sindicatos, movimentos sociais e organizações políticas. É necessário unir todos aqueles e aquelas que de fato tenham disposição de lutar contra o governo Beto Richa e sua política nefasta.

Esta campanha deve denunciar a política do governo para o conjunto da população, para desmascará-lo perante o movimento de massas. Somente com mobilização conquistaremos o apoio da maioria do povo. Vamos construir esta unidade de ação, nossos militantes estarão ombro a ombro com todos os lutadores que tenham disposição de levar adiante esta luta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui a sua opinião!

Marcadores