22 de dezembro de 2013

Volta da direita? Como assim “volta”? Quando ela foi embora?


A militância do PT e as correntes “agregadas” da base de sustentação do governo, como a Consulta Popular e o MST, além da CUT e da UNE, já começaram a martelar a concepção que deve ser o carro-chefe da sua movimentação em 2014:

– É preciso reeleger a Dilma “para impedir a volta da direita”!



É um temor falso, dos pés à cabeça. O PT governa o país há dez anos com o apoio resoluto da fração mais poderosa da direita: o capital financeiro, as multinacionais, as empreiteiras e o agronegócio. No entanto, por ser um governo “anormal” do ponto de vista dos capitalistas –isto é, seus representantes são renegados do movimento operário, ex-militantes e ex-sindicalistas que se venderam e passaram a gerir negócios alheios– os setores genuinamente burgueses, nascidos no seio da classe dominante, sentem-se incomodados e desejam removê-lo do poder, desejam gerir seus próprios negócios. Isto explica a posição do DEM e do PSDB.

Se essa “direita” voltasse, o que poderia fazer?

1) Poderia entregar o Pré-sal para as multinacionais? Acabando de vez com a soberania nacional? (Não, pois a Dilma já fez isso);

2) Poderia aumentar novamente a taxa básica de juros, por umas seis vezes consecutivas, para favorecer os especuladores do mercado financeiro que "investem" nos títulos da dívida pública? (Não, pois a Dilma já fez isso);

3) A direita tradicional poderia flertar com os militares e transformar a campanha pela memória, reparação e justiça às vítimas da ditadura apenas numa campanha pela “verdade”, em que os militares continuariam impunes? (Não, pois a Dilma já fez isso);

4) O DEM e o PSDB poderiam aprovar leis de exceção, típicas da ditadura, para criminalizar os movimentos sociais, aproveitando a Copa do Mundo? (Não, pois a Dilma já aprovou a Lei Geral da Copa e a Lei contra “Organizações Criminosas”);

5) Essa direita poderia aplicar um receituário totalmente neoliberal, que inclui uma política econômica voltada para o mercado financeiro, estrangulando a economia do país, destinando quase a metade do Orçamento da União para os juros e rolagem da dívida pública? (Não, pois o PT já faz isso);

6) A direita poderia destruir a educação pública do país, pagando salários miseráveis aos professores do ensino básico, deixando as escolas públicas à míngua, cortando verbas da educação todos os anos, e impedindo que o PNE destinasse 10% do PIB para a educação pública já? (Não, a Dilma e o Lula já fizeram tudo isso);

7) A direita poderia privatizar o que restou da economia nacional? Poderia privatizar estradas, aeroportos, portos, a previdência dos servidores públicos (FUNPRESP), os Correios? (Não, a Dilma já garantiu essa parte);

A direita poderia criar arbitrariamente, através de Medidas Provisórias, aberrações jurídicas como a EBSERH para entregar os serviços públicos, principalmente a saúde, para a iniciativa privada? (O PT demonstrou ter mais habilidade nesse terreno do que o PSDB);

9) A direita poderia permitir que a polícia nos Estados e bandos paramilitares atacassem as comunidades pobres, expulsando-os de suas casas para favorecer a especulação imobiliária? (Não seria preciso, pois a Dilma garantiu a expulsão das famílias do Pinheiro pela polícia do PSDB, em benefício de Naji Nahas);

10) A direita poderia permitir a volta da ditadura? (Não é necessário nenhuma ditadura no país, pois o PT garante, através da CUT, da UNE e do MST, o atrelamento dos movimentos sociais ao Estado. Essas entidades impedem que os trabalhadores se mobilizem e ameacem a ordem social vigente. Quando algo escapa do controle, como a recente mobilização dos petroleiros contra o leilão do campo de Libra, é a própria Dilma quem garante que as Forças Armadas estejam nas ruas para reprimir os trabalhadores e garantir os interesses do capital financeiro);

11) A direita poderia reproduzir uma política externa de capitulação categórica e servil ao imperialismo, aos EUA, fazendo com que o Brasil fosse reconhecido mundialmente como nação semicolonial, com o humilhante papel de lamber as botas de Barack Obama? (Não é preciso, pois o PT faz tudo o que os EUA mandam, a exemplo da vergonhosa ocupação militar do Haiti, chefiada por tropas brasileiras, da negativa de asilo político a Eduard Snowden, e de sua posição de governo amigo do Estado racista e fascista de Israel e de todas as ditaduras da região).

Em suma, não resta nada para o PSDB e para o DEM fazer, e esse é o motivo da crise existencial desses partidos. Depois de sua total capitulação à democracia burguesa, o PT demonstrou na prática que os capatazes e capitães-do-mato podem gerenciar a Casa-Grande de modo muito mais eficaz que o próprio senhor de escravos. Essa é a razão do apoio político e financeiro que o governo Dilma recebe dos grupos econômicos mais poderosos do país.

A democracia burguesa é um regime em que a burguesia sempre ganha. Quem ainda não aprendeu isso e ainda acredita que um governo, qualquer que seja, possa defender interesses distintos das classes que detêm o poder econômico, não aprendeu o ABC do comunismo.

O velho Marx tinha razão: “O governo do Estado moderno não é nada mais do que um comitê responsável por gerir os negócios comuns da burguesia”.

Um comentário:

  1. Excelente texto! Um ótimo resumo sobre as ações do governo no último período e o desmascaramento do famigerado partido dos trabalhadores.

    ResponderExcluir

Deixe aqui a sua opinião!

Marcadores