21 de outubro de 2013

Dilma está leiloando o pré-sal, isto é privatização


Marcello Locatelli Barbato pelo PSTU de Curitiba
O governo Dilma está privatizando uma das principais riquezas brasileiras. O leilão do campo de Libra da camada pré-sal, localizado na bacia de Santos-SP, está marcado para o dia 21 de outubro e significará uma das maiores privatizações da história do nosso país, um verdadeiro ataque
a soberania nacional brasileira.
O campo de Libra detém a maior reserva de petróleo da camada pré-sal, estimada entre 8 à 15 bilhões de barris de Petróleo. Para dar uma ideia do que está sendo entregue aos capitalistas internacionais, é preciso dizer que o Petróleo armazenado no campo de Libra corresponde ao PIB (Produto Interno Bruto) brasileiro de um ano, ou seja, corresponde a toda riqueza produzida no país durante um ano inteiro, equivalente à $ 1,5 trilhão de dólares.
Nós defendemos que as reservas de petróleo do país sejam do povo brasileiro, mas isso só será possível se a Petrobras for 100% Estatal e controlada democraticamente pelos trabalhadores. O monopólio da exploração do petróleo deve ser da Petrobras, para que os recursos provenientes desta exploração possam ser investidos em transporte, saúde e educação públicas.
Dilma e o PT mudaram de lado
Boa parte da história do Partido dos Trabalhadores foi marcada pela luta contra as privatizações do PSDB, que durante o governo de Fernando Henrique Cardoso (FHC), que entregou a preço de banana a Vale do Rio Doce e a Telebrás, a primeira, ainda hoje é uma das maiores mineradoras do mundo.
Na eleição que levou Lula ao poder o PT fez uma forte campanha contra as privatizações do PSDB. Já no poder Lula não reverteu as privatizações feitas por FHC, fez o oposto, criou a lei que regulamentou o sistema de partilha do pré-sal com o capital privado e continuou com a política de leilões do petróleo.
Nas eleições de 2010, Dilma e o PT prometeram que não iriam privatizar as reservas do pré-sal. Dilma usou do discurso contra a privatização durante a campanha eleitoral para se diferenciar do tucano José Serra. O petismo já não se diferencia da direita tradicional no que refere-se ao vale tudo eleitoral.
Sabemos que milhares de trabalhadores e muitos militantes do PT não estão contentes com a política que o governo adotou, e que honestamente continuam apostando na disputa pela mudança de rumo deste partido. Mas é preciso reconhecer, este partido mudou de lado, a direção que historicamente se afirmou está do lado dos capitalistas nacionais e internacionais.
O PT se adaptou a política de colaboração de classes, sua direção controla o partido através das instituições democrático-burguesas. Quem define e manda na política deste partido são os parlamentares, os dirigentes que ocupam cargos no Estado burguês e os capitalistas que financiam as campanhas eleitorais milionárias.
É por esse motivo que Dilma falou contra as privatizações, mas aplicou uma política oposta, privatizando portos, aeroportos, estradas e o petróleo.
O petismo é a maior influência dentro da CUT (Central Única dos Trabalhadores), a maior central sindical do país que influencia milhares de sindicatos. A CUT e a Força Sindical dirigem a maioria da classe operária, ambas centrais, se assim quisessem, teriam força para organizar uma forte greve nacional unificada contra os leilões do petróleo. Essa greve poderia servir de instrumento para dar maior visibilidade a luta contra a privatização, e assim ganhar o apoio da maioria da classe trabalhadora e da juventude.
Mas não é isso o que estamos vendo. A greve dos petroleiros está isolada, e só foi deflagrada devido as contradições e insatisfação dos trabalhadores petroleiros, ou seja, contra a vontade das direções governistas. Essas centrais não mobilizaram todas as suas forças para travar esta luta, e a explicação é simples, não querem se chocar contra os interesses do governo e empresários.
As tarefas da esquerda socialista
Somente uma ampla unidade da classe trabalhadora será capaz de por fim as privatizações e abrir caminho as mudanças no país.
A principal tarefa da esquerda socialista é apresentar um programa justo e uma tática correta para a nova situação política que vivemos no Brasil. A luta contra os leilões do petróleo é parte deste programa e deve combinar a denúncia para todo o povo sobre a política traidora aplicada pelo governo Dilma.
As centrais sindicais e movimentos sociais devem romper com o governo e se colocar ao lado dos trabalhadores, e construir a unidade na luta capaz de derrotar a política que vem sendo aplicada por Dilma.
· Dilma suspenda os leilões do pré-sal! Por uma Petrobras 100% Estatal!
· Exigimos que as riquezas do petróleo sejam investidas em transporte, saúde e educação públicas!
· Romper com o governo e construir uma ampla unidade dos trabalhadores para mudar o país!

 
Contra as privatizações, em defesa da soberania nacional!

Um comentário:

  1. Isso é um absurdo! Literalmente! Meu Deus, é muita sujeira em um país só!

    Privatizar uma das principais fontes de renda que possuímos? Esse povo ficou maluco ou o que? Quer dizer que torraram o que tínhamos com a maldita da corrupção (desculpe pelo uso do termo), e agora vem querer cobrir a burrada que fizeram, privatizando o que é do povo brasileiro? Será que não percebem que o impacto vai ser arrasador? É revoltante!

    Desse jeito quero ver onde vamos parar...

    ResponderExcluir

Deixe aqui a sua opinião!

Marcadores