14 de outubro de 2013

A tragédia da Lampedusa: 345 vitimas do Capitalismo

Por Robert Noonen
Na semana passada (03/10) 345 imigrantes morreram num naufrágio na costa da Sicília (Itália). A tragédia foi relatada internacionalmente pela imprensa como uma triste tragédia. A culpa é geralmente colocada nas costas dos 'traficantes' que exploram pessoas em péssimas condições de vida e que se vêem obrigadas a tomar atitudes desesperadas.
Mas, enquanto esses traficantes são sim exploradores, a culpa dessas mortes é do sistema capitalista.


A grande tristeza, na verdade, é que este não é um caso raro. O que aconteceu na costa da Sicília foi uma das maiores tragédias nos últimos anos, mas não foi a única. Nos últimos 15 anos 13,800 imigrantes morrem tentando entrar na Europa (19,144 desde de 1988)[1]. Na ultima década 1,000 morrem na Austrália [2] e na fronteira do México com os Estados Unidos uma média de 368 pessoas morrem por ano[3]. Pior ainda, que todo ano o número de mortes cresce[4].


A morte de imigrantes não é nada novo e não é uma coisa que os governos neoliberais se preocupam. Só fazem discursos sobre a 'tristeza'.



Vivemos num sistema neoliberal, onde os governos capitalistas falam que 'liberdade' é tudo e há necessidade de um 'mercado livre' para melhorar o mundo. Mas, quando pessoas querem sair da pobreza e guerra que o capitalismo faz na sua terra, as fronteiras se fecham.



A Africa é um continente rico em minerais, petróleo e terra arável, mas o povo não se beneficia desses produtos. O mercado aberto faz com que toda riqueza fique nas mãos de multinacionais e quase todo o lucro vai para a China, Europa e Estados Unidos. Enquanto isso, o povo desse continente fica cada vez mais pobre. Consequentemente, milhares fogem de seus países, muitas vezes sem a família, para a Europa para tentar melhorar suas vidas.



Com a dificuldade de conseguir vistos , eles dependem de traficantes para entrar na Europa, via Itália e Espanha, para depois se espalharem pelo continente em busca de asilo.



Os governos da Europa, dificultam cada vez mais a entrada de imigrantes: a medida da União Européia sobre a tragédia de Lampedusa é 'aumentar o controle para interromper o curso de barcos de imigrantes' [5]. Eles não se importam com os motivos dessas pessoas de entrarem em seus países ou com sua segurança, eles simplesmente impedem.



Além disso, a política reacionária e racista dos Estados Unidos, Europa e Austrália tem um grande foco nos imigrantes. Imigrantes estão sendo perseguidos e os movimentos de ultra-direita\neo-nazista\fascista estão crescendo, baseados nessa política. Junto com a maior crise econômica na Europa desde 1929 essa perseguição está sendo cada cada vez mais forte. Os governos aplicam reformas cada vez mais reacionárias que só pioram as condições dos imigrantes e aumenta o número de mortes.



O único jeito de prevenir essas tragédias é abrir as fronteiras e ter um 'movimento livre' entre países e o fim do capitalismo que cada vez mais piora as condições de vida na Africa, Asia, Oriente Médio, Caribe e America Latina.



Ninguém é ilegal! Pela abertura das fronteiras já!

Um comentário:

Deixe aqui a sua opinião!

Marcadores