7 de junho de 2013

CONTRA O AUMENTO DAS TARIFAS DO TRANSPORTE: MANIFESTAÇÕES EXPLODEM POR TODO O PAÍS!

Na noite de ontem, 06/06, ocorreram grandes manifestações contra o aumento da tarifa em quatro capitais brasileiras: Goiânia, Natal, Rio de Janeiro e São Paulo. As manifestações foram duramente reprimidas pelas forças policiais que transformaram as ruas das cidades em campos de batalha, com gás lacrimogêneo e balas de borracha para “conter” os manifestantes.

Em cada uma destas cidades, os aumentos das tarifas estão na contramão das necessidades da população trabalhadora que depende do transporte coletivo para se deslocar para seu local de estudo, de trabalho, de lazer, etc. Estes processos não são isolados, tendo acontecido em distintos lugares e em outros momentos. Por exemplo, em 2012, milhares de estudantes e trabalhadores de Teresina e de Natal, após intensas mobilizações conseguiram reverter o aumento das passagens do transporte.

Mais recentemente, entre fins de março e início de abril de 2013, Porto Alegre foi o palco de uma verdadeira batalha, na qual milhares de estudantes e trabalhadores tomaram as ruas em protestos diários. A vitória foi conquistada após uma intensa luta que forçou o prefeito José Fortunati (PDT) e o governador Tarso Genro (PT) a negociar a redução da passagem de R$ 3,05 para R$ 2,85. Neste mês de junho, em Natal, a passagem de ônibus que havia passado de R$ 2,20 para R$ 2,40, foi reduzida para R$ 2,30, porém as lutas de estudantes e trabalhadores continuam para que a tarifa volte ao valor original.

Todos estes processos têm em comum o fato de serem mobilizações de milhares de pessoas que não aceitam as imposições dos governos e das empresas de transporte coletivo. Ou seja, a vitória só pode ser construída através de mobilizações permanentes, que coloquem na ordem do dia a necessidade de resistir ao menor ataque dos governos e dos empresários do transporte.

Aumento da passagem em Curitiba: é preciso resistir!
Recentemente, em Curitiba, ocorreu um aumento da tarifa de ônibus semelhante as das outras capitais. A desculpa para o aumento da passagem é a tal da “tarifa técnica”, que seria mais elevada que o valor cobrado dos usuários, necessitando-se aumentar a passagem para evitar um rombo nas contas da URBS e das empresas de ônibus. Sobre o rombo nos bolsos de estudantes e trabalhadores, os governos de Gustavo Fruet (PDT/PT) e de Beto Richa (PSDB) não falam uma palavra!

A URBS, o prefeito Fruet (PDT/PT) e os empresários do transporte coletivo usam esta expressão apenas para enganar e confundir os estudantes e trabalhadores. A grande verdade é que a “tarifa técnica” é constituída, em grande parte, dos lucros das empresas de ônibus!

Estas empresas não querem abrir mão deste lucro fácil, obtido à custa da população através de subsídios públicos, cujo dinheiro sai dos impostos pagos pelo conjunto da população. Ou seja, estudantes e trabalhadores pagam duas vezes para ter acesso ao transporte público: primeiro, através dos impostos, segundo, através da tarifa.

O PSTU é contrário a todo e qualquer aumento das tarifas públicas que só fazem engordar as poupudas contas dos grandes empresários. Defendemos que os serviços públicos não devem ser utilizados como forma de enriquecimento privado, pois deveriam ser um direito básico da população, garantido pelo Estado. Somos contrários à concessão destes serviços às empresas privadas. Cabe ao Estado tomar conta dos assuntos de interesses dos estudantes e trabalhadores, tais como a Educação, a Saúde, o Transporte, etc. e impedir esta verdadeira farra com o dinheiro público.

A resistência oferecida na noite de ontem por estudantes e trabalhadores de Goiânia, Natal, Rio de Janeiro e São Paulo indica um caminho contra os ataques que os governos e as empresas nos imprimem cotidianamente. Como se viu em Teresina e Natal (2012) e em Porto Alegre (2013): É PRECISO RESISTIR, É POSSÍVEL VENCER!

TODO APOIO À LUTA DE ESTUDANTES E TRABALHADORES CONTRA O AUMENTO DAS TARIFAS DO TRANSPORTE!
CONTRA O AUMENTO DAS TARIFAS PÚBLICAS!
DINHEIRO PÚBLICO PARA SERVIÇOS PÚBLICOS!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui a sua opinião!

Marcadores