20 de março de 2013

Repúdio ao caso de Racismo em Colégio da Região Metropolitana de Curitiba


Ontem, dia 19 de março, o professor Odair Rodrigues foi vítima de um grave ato de racismo em seu local de trabalho. Ao chegar para dar aulas no Colégio Lucy Requião de Melo e Silva, em Fazenda Rio Grande, foi abordado por uma blitz policial e revistado em frente aos alunos que entravam pra aula do período noturno. Mesmo alegando ser professor e sob protestos dos alunos, sequer foi solicitada sua identificação, apenas o revistaram agressivamente.

Outros professores entravam pelo mesmo portão, mas apenas ele foi abordado pela Blitz. Era o único negro. Está evidente a situação de racismo a que foi exposto, sendo humilhado violentamente no local em que deveria ser respeitado como educador.

O racismo é uma das formas de opressão que o capitalismo utiliza pra dividir a classe trabalhadora e aprofundar a desigualdade, sendo fundamental para a reprodução da sociedade de classes, na qual a burguesia é a classe dominante. Para isso utiliza-se das leis do Estado e de seus aparatos repressivos. A polícia militar é o aspecto mais flagrante da violência que o Estado burguês realiza contra o povo negro e pobre.

Atualmente o Brasil vive uma verdadeira pandemia de homicídios de negros. Dados do Mapa da Violência, estudo divulgado em 2012 pelo Centro Brasileiro de Estudos Latino-Americanos (Cebela), a Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais (Flacso) e a Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial da Presidência da República (Seppir), revelam que, enquanto a taxa de homicídios de brancos caiu 24,8% entre 2002 e 2012 o índice de homicídios de negros cresceu 5,6% no mesmo período.

Nas periferias das grandes cidades ocorre intenso processo de perseguição à juventude negra pela polícia, manifesta nas blitz violentas relacionadas com a militarização da segurança pública nos bairros. Em Curitiba e sua região metropolitana as UPS são a face desta violência – não melhoraram a segurança dos trabalhadores e atuam com hostilidade reprimindo negros e jovens.

O PSTU repudia a presença policial militar nas escolas e os atos de racismo realizados pelo Estado e seu aparato repressivo. Prestamos nossa solidariedade ao Professor Odair Rodrigues e nos colocamos a disposição para o enfrentamento contra o racismo sofrido e qualquer opressão ao povo trabalhador.

Contra o Racismo e todas as formas de opressão!
Pela desmilitarização das polícias!

PSTU Curitiba – 20/03/2013. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui a sua opinião!

Marcadores