26 de janeiro de 2013

GOVERNO FRUET (PDT/PT) começa seu mandato despejando famílias sem-teto


Nota do Movimento Luta Popular sobre a desocupação no Tatuquara:

Gustavo Fruet começou o ano mostrando para quem irá governar. No último dia 17 de janeiro, cerca de quarenta famílias ocuparam parte de 200 casas no Conjunto Tatuquara que estavam ociosas e sendo depredadas há mais de 1 ano.
Sem qualquer mandado judicial a guarda municipal de Curitiba por ordem da COHAB promoveu o despejo e colocou as famílias na rua.
Estas famílias já haviam sido retiradas de outras áreas consideradas de risco pela própria Prefeitura e até o momento não receberam outra casa para morar.
Cansadas da omissão da COHAB ocuparam estas residências no Tatuquara para tentar abrir uma negociação com a Prefeitura e o que obtiveram do atual prefeito foi a guarda municipal e promessas vazias de que seriam inscritas em programas do Município e receberiam um aluguel social.
Neste momento os ocupantes estão montando barracos de lona do lado de fora das casas, que continuam desocupadas, esperando que algum representante da administração os receba e resolva o problema. São mais de 80 crianças, idosos e mulheres que estão em precárias condições de higiene, saúde e alimentação e aguardam uma posição concreta.
O movimento Luta Popular presta sua solidariedade a estas famílias e exige do governo municipal (que tem em sua composição o PT) o mínimo de respeito e seriedade para resolver o problema.
Não basta ir para a imprensa e falar que as famílias precisam se inscrever na fila da COHAB (que já possui mais de 83 mil inscritos) e pedir para que os trabalhadores esperam até 10 anos sem qualquer perspectiva de que um dia sua casa própria saia.
A Prefeitura tem recursos e terrenos disponíveis para resolver a questão da moradia popular, mas prefere encher o bolso de grandes empreiteiras e construtoras que na maioria das vezes abandonam os projetos de habitação popular porque os lucros são menores.
Quem puder prestar sua solidariedade às famílias pode levar leite, alimentos e roupas para Rua João Goulart onde está o acampamento.

Por isso exigimos:
a)  Que o prefeito Gustavo Fruet (PDT/PT) receba as famílias;
b)  Que as famílias recebam imediatamente o aluguel social;
c)  A destinação em caráter emergencial de terrenos ou casas dignas para as famílias despejadas.

Quando não existe política de habitação popular a ocupação é um ato legítimo dos trabalhadores.

CONTRA OS DESPEJOS FORÇADOS!
MORADIA POPULAR JÁ!
LUTA POPULAR EM DEFESA DAS FAMÍLIAS DO TATUQUARA!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui a sua opinião!

Marcadores