30 de março de 2011

Técnico-administrativos da Universidade Federal do Paraná deflagram greve por tempo indeterminado

Paralisação

Na manhã desta segunda-feira, 28 de março, cerca de trezentos servidores técnico-administrativos da Universidade Federal do Paraná participaram da assembleia convocada pelo sindicato da categoria, o Sinditest-PR, e decidiram deflagrar greve por tempo indeterminado.
A decisão não foi unânime. Um grupo de oposição à atual direção do sindicato, ligado à CTB, foi contra (aproximadamente 10 votos), e houve algumas abstenções.
O motivo da dissensão foi o resultado inesperado da Plenária Nacional da Fasubra, realizada neste fim de semana, que abortou o movimento grevista.

A política votada na Plenária Nacional —aguardar a negociação com o governo e “fortalecer” a mobilização— foi rechaçada pela assembleia, e denunciada como uma traição da ala governista da Fasubra ao processo nacional de mobilização da categoria.
A greve na UFPR conta com a adesão massiva dos trabalhadores do Hospital de Clínicas, os primeiros que sofrerão as consequências da Medida Provisória n.º 520/10, que privatiza os hospitais universitários em todo o país.
A greve já recebeu o apoio do DCE e do Conselho de Entidades de Base, instância que reúne os Centros Acadêmicos.
O Comando de Greve desenvolverá ações políticas durante a semana, visando aumentar a adesão nos diversos campi da instituição. A expectativa da categoria é a de que durante a semana outras universidades federais entrem em greve, ajudando a furar o bloqueio da política de “aguardar e negociar” da direção da Fasubra.
André Luís, de Curitiba
Fonte: http://www.conlutas.org.br/site1/exibedocs.asp?tipodoc=noticia&id=6106

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui a sua opinião!

Marcadores