9 de agosto de 2010

Conheça as propostas do Avanilson para a Infraestrutura do Estado!

OS INTERESSES PRIVADOS NA INFRAESTRUTURA DO PARANÁ

    A respeito da infra-estrutura, Avanilson destaca que “o Paraná é um estado rico e com uma infra-estrutura razoável. No entanto, o que constatamos é que uma das principais características da infraestrutura do Paraná, implementada no último período, principalmente desde o governo Lerner e mantida pelo governo Requião, foi a privatização de setores estratégicos para o desenvolvimento do Estado, sobrepondo os interesses dos paranaenses pelos interesses do lucro e do capital privado”.
    Assim aconteceu com o projeto do anel de integração viário; com a implantação das praças de pedágio; com o setor financeiro na privatização do Banestado (Banco do Estado do Paraná), cujo processo ainda hoje é objeto de questionamento judicial quanto aos evidentes sinais de corrupção*; no setor ferroviário com a privatização da Ferroeste e da rede ferroviária federal (entregue para a ALL); no setor de telecomunicações por meio da venda da Telepar; no setor de captação e abastecimento de água com a venda das ações do      Governo na Sanepar, que passou a ser controlada majoritariamente por capital francês (empresa Vivendi) e também no setor energético, já que a Copel embora seja uma empresa pública, somente possui 30% de seu capital nominal nas mãos do Estado e os interesses dos paranaenses são decididos nas bolsas de valores de São Paulo e Nova Iorque. Não podemos esquecer que também se entende por infra-estrutura questões fundamentais para o desenvolvimento humano, como o transporte coletivo e o saneamento básico.

ESTATIZAR PARA DESENVOLVER A ECONOMIA PARA OS TRABALHADORES

   Um dos principais desafios do próximo período para os trabalhadores do Paraná é retomar  o controle estatal sobre essas áreas fundamentais, para que a infra-estrutura do Estado esteja colocada a serviço de melhorar a vida da população. Sobre esta questão o candidato Avanilson diz: “defenderei  junto com o PSTU um programa que promoverá a reestatização do Banestado, com a suspensão imediata do pagamento ilegal das dívidas interna e Estado, girando esses recursos para investimento num extenso plano de obras públicas de infra-estrutura que resolva o problema do saneamento básico e da moradia popular. Além disso, para melhorar a infra-estrutura do Paraná precisamos de uma COPEL e uma SANEPAR 100% estatais, para reduzir as tarifas de água e energia em pelo menos 50% e direcionar os recursos arrecadados para investimentos públicos sociais”. E continua ”outra proposta que defenderei será a estatização da ALL e do sistema ferroviário e o fim imediato dos pedágios”. Essas medidas são necessárias para que tenhamos um governo que atenda os interesses da maioria da população trabalhadora e não a serviço de uma meia dúzia de capitalistas. Por isso, a infra-estrutura deve estar nas mãos dos trabalhadores, inclusive, incrementando um profundo plano de obras públicas que gere emprego para os paranaenses.

* O Banestado foi “vendido” ao Itaú.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui a sua opinião!

Marcadores